40 DIAS COM O ESPÍRITO SANTO – DIA 14

Por

Dia 14 – O Espírito Santo Não nos abandona

25 de abril de 2018 – Quarta-feira

VIMOS que cada pessoa na Triunidade é verdadeira e plenamente Deus. Isso é muito relevante em relação ao nosso relacionamento com o Pai, com o Filho e com o Espírito Santo. Por exemplo, está escrito que Deus, o Pai, “nunca os deixará, nunca os abandonará” (Dt 31.6-NVI). Jesus disse antes da Sua ascensão ao Céu: “… e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.”(Mt 28.20-ACRF). Podemos esperar a mesma fidelidade com respeito ao Espírito Santo? É claro que sim. Jesus disse que o Espírito Santo estaria conosco “para sempre” (Jo 14.16-NVI). Entretanto, mesmo que Jesus não tivesse dito isso sobre o Espírito Santo, ainda assim, eu creria nesta verdade.

Mencionamos anteriormente que Davi, ainda que fosse um homem segundo o coração de Deus e o maior rei de Israel, não era perfeito. Seus pecados de adultério e assassinato estão no topo da lista dos pecados lamentáveis e vergonhosos no Antigo Testamento. Diferentemente de Saul, Davi se arrependeu assim que o profeta Natã o repreendeu e depois escreveu sua oração: o Salmo 51. O primeiro pedido de Davi foi por misericórdia: “Tem misericórdia de mim, Ó Deus, por teu amor; por tua grande compaixão apaga minhas transgressões. Lava-me de toda a minha culpa e purifica-me do meu pecado” (v.1 e 2-NVI). Mas, quero focar-me nas seguintes palavras: “Não me expulses da tua presença, nem tires de mim o teu Espírito Santo” (v.11-NVI). Alguns pensam que isso mostra que o Espírito Santo nos deixa quando pecamos, porque Davi orou, após pecar, pedindo a Deus que não tirasse dele o Espírito Santo. Entretanto, Davi não orou porque o Espírito Santo nos deixa quando pecamos. Davi orou temendo que isso viesse acontecer e tinha consciência de que era o que ele merecia. Sua oração revela seu profundo arrependimento. Orou dessa forma porque a presença de Deus era preciosa para ele. Para Davi, a presença de Deus e a do Espírito Santo era a mesma (pois a Triunidade é UMA-Nota do Editor). Davi ficou horrorizado ao pensar que poderia perder a presença de Deus, o Espírito Santo.

Ele não tinha com o que se preocupar, pois: “Grande é a sua fidelidade!” (Lm 3.23-NVI). O Deus do Antigo Testamento não nos deixa; Jesus, o Filho de Deus, não nos deixa; o Espírito Santo não nos deixa. E prova de que o Espírito Santo não havia deixado Davi é ele ter orado como orou. Apenas uma pessoa movida pelo Espírito Santo poderia orar daquela forma! Ao orar por misericórdia mostrou seu arrependimento. Também, ao suplicar por compaixão mostra que você não tem poder de negociação. Davi reconheceu que Deus poderia dar ou negar misericórdia. Em ambas as decisões, Ele estaria sendo justo. Todo o Salmo 51 pode ser descrito em uma palavra: arrependimento. É isso que Davi estava mostrando. O Espírito santo estava trabalhando nele, habilitando Davi para que orasse como orou. Certamente o Salmo 51 é um parte das Escrituras- cujo Autor é o Espírito Santo! Toda a escritura é “inspirada por Deus”, o que significa que é inspirada pelo Espírito Santo – soprada por Ele (2 Tm 3.16).

Davi também escreveu o maravilhoso Salmo 139. Eu não sei se ele o escreveu antes ou depois do seu terrível pecado. De qualquer forma, está escrito: “Para onde eu poderia escapar do teu Espírito? Para onde poderia fugir da tua presença? Se eu subir aos céus, lá estás; se eu fizer minha cama na sepultura, também lá estás” (v.7 e 8). A versão King James em inglês traduz a última parte do verso 8 da seguinte maneira: “se eu fizer minha cama no inferno”. A versão Almeida Revisada da Imprensa Bíblica Brasileira deixa a palavra hebraica sem traduzir: “se eu fizer no Seol a minha cama”- referindo-se à morte, à sepultura. (No Novo Testamento, Hades é o equivalente de Seol). Davi certamente havia feito sua “cama no inferno” quando pecou com tanto descaramento como o fez. Se ele escreveu esse Salmo após aquele pecado, é um testemunho de que Deus, sem dúvida, não o havia deixado.

Somos todos pecadores. “Eu sou um pecador – tão grande quanto qualquer um, pior do que muitos”. “Se afirmamos que estamos sem pecado, enganamos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nosso pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 Jo 1.8,9 – NVI). É pela graça de Deus que eu não pequei como Davi pecou. Sinto –me apenas encorajado por saber que o Deus da Bíblia é cheio de misericórdia. Jesus disse à mulher encontrada em adultério: “Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado” (Jo 8.11 – NVI). Na nova Versão transformadora (NVT) diz: “Vá e Não peque mais”. O Espírito Santo é o mesmo. Ele nunca nos abandonará, mas nos dirá para abandonarmos nossa vida de pecado.

 Para ampliar se estudo e crescimento: 2 Samuel 12.11-14; Salmos 139; Lamentações 3.19-26; 1 João 1.7 a 2.2; 1 Timóteo 1.12-17; Filipenses 3.7-10; Efésios 4.30 e 5.18.

Ó, “Espírito Santo”, penso na frase: “Lá vou eu, mas pela graça de Deus”! Perdoa-me por meus pecados, incluindo minha autojustiça. Agradeço-te por Tua grande misericórdia. Em nome de Jesus, amém.

(Texto Extraído do Livro “40 Dias com o Espírito Santo – Andando Diariamente com o Espírito Santo- Uma jornada para experimentar Sua presença de uma maneira fresca e nova” – R. T. KEDALL)

share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *