40 DIAS COM O ESPÍRITO SANTO – DIA 15

Por

Dia 15- O Espírito Santo Pode Ser Provocado

26 de Abril de 2018 – Quinta-feira

VOCÊ JÁ PROVOCOU o Espírito Santo? Com temor, eu digo que sim. Com muita frequência. Algumas vezes eu sinto imediatamente que fiz isso. Outras, Deus espera um pouco antes de mostrar-me. Isto, considerando que o Senhor é “tardio em irar-se” (Êx 34.6-ARIBB). Também, é verdade o que está no Salmo 2.12 – NVT: “… pois Sua IRA (do Senhor) se acende num INSTANTE; …(ênfase acrescentada). Pessoalmente, eu preferiria ter a última opção – quando Sua ira Se inflama de repente – para passar logo por ela. Tenho concluído que, de maneira geral, quanto mais grave o pecado, mais Ele espera para mostrar Sua ira. O Senhor esperou uns dois anos até enviar Natã, o profeta, para expor os pecados hediondos de Davi, de adultério e assassinato. Mas quando Moisés suplicou ao Senhor para que enviasse outro para libertar Israel do Egito, dizendo: “Ah Senhor! Peço-te que envies outra pessoa” (Êx 4.10-14-NVI), instantaneamente a ira do Senhor se acendeu contra ele.

Os filhos de Israel “rebelaram-se contra o Espírito de Deus e Moisés falou sem refletir” (Sl 106.33-NVI). A versão English Standart Version (ESV) apresenta outra tradução do incidente: “porque [os israelitas] amarguravam o seu espírito [de Moisés]; e ele falou imprudentemente com seus lábios” (ainda que haja uma nota de rodapé que diz “eles rebelaram-se contra o Espírito de Deus”). Junto a essas duas traduções, há, visivelmente, o desagrado do Senhor quanto a IRA de Moisés. Mas, o que Moisés estava sentindo era uma ira justa contra os filhos de Israel. Líderes piedosos, em algumas situações, carregam fardos da parte de Deus e, interiormente, às vezes, reagem com IRA quando seus liderados saem do caminho do Senhor.

O Espírito Santo nunca perde o controle de Si ou o Seu domínio próprio. Ele reflete a alegria e o prazer que sempre estão presentes à mão direita de Deus (S1 16.11). Mas se não formos cuidadosos e sábios, podemos imprudentemente demonstrar irritação pecaminosa diante da perversidade e maldade que vemos ao nosso redor. Moisés – depois de Jesus – foi o maior líder de homens e mulheres na história da humanidade, mas ele não era perfeito. Ocorreram dois fatos, simultaneamente, quando os israelitas sentiram saudade do que comiam no Egito: eles provocaram o Espírito Santo e deixaram Moisés irado. Porém, devido Moisés ser humano e, consequentemente imperfeito como todos nós, “ele falou imprudentemente (precipitadamente) com seus lábios” (S1 106.33 – ARIBB- destaque acrescentado). Um grande teste de liderança é presenciar cenas de maldade e perversidade sem perder o domínio próprio.

Ainda assim, às vezes, é difícil identificar a diferença. Jesus demonstrou ira justa quando foi ao templo e encontrou “alguns vendendo bois, ovelhas e pombas, e outros assentados diante das mesas, trocando dinheiro, então ele fez um chicote de cordas e expulsou todos do templo, bem como as ovelhas e os bois; espalhou as moedas dos cambistas e virou as suas mesas. Aos que vendiam pombas disse: “Tirem estas coisas daqui! Parem de fazer da casa de meu Pai um mercado!” (Jo 2.14-16-NVI). Jesus tinha o Espírito Santo em plenitude (Jo 3.34). Por esta razão, Ele estava irado porque o Espírito Santo estava irado, e porque o Pai também estava irado; pois tudo o que Jesus sempre fez foi fazer as vontade do Pai (Jo 5.19). Mesmo Jesus não tendo perdido o domínio próprio quando O provocaram, transformando AQUELE templo em mercado, os que ali estavam deduziram isto! Mas a questão é: “Posso ser provocado em meu espírito, mas não perder o controle? O apóstolo Paulo disse: “Quando vocês ficarem irados, NÂO pequem” (Ef 4.26-NVI).

Como veremos mais adiante neste livro, o Espírito Santo pode ser entristecido. Os israelitas do passado “…se rebelaram e entristeceram o Espírito Santo. Então, Ele se virou e se tornou seu inimigo (Is 63.10-NVI). Tiago alertou os primeiros cristãos: “vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus” (Tg 4.4-NVI). Martinho Lutero disse que “primeiro devemos conhecer Deus como um inimigo antes de podermos conhece-lo como um amigo”.

A ira de Deus para com Seus Filhos é chamada de correção ou disciplina. “O Senhor disciplina a quem ama” (Hb 12.6-NVI). Em todo caso, devemos estar agradecidos porque a Sua ira para com os Seus “só dura um instante, mas o seu favor dura a vida toda; o choro pode persistir uma noite, mas de manhã irrompe a alegria” (S1 30.5-NVI)

 Então, você já provocou o Senhor? Quanto mais grave for esta provocação, mais tempo Ele vai demorar manifestar Sua ira, ou seja, Sua disciplina. É por isso que queremos saber o mais rápido possível se desagradamos a Deus. De qualquer maneira, deve mos ser agradecidos por isto: se somos disciplinados por Deus (e todos nós precisamos ser de tempos em tempos), é porque somos amados.

Para ampliar seu estudo e crescimento: Números 20.6-13; Isaías 63.7-10 e 11-19; 1 Coríntios 10.1-13; Tiago 4.10.

Bendito Espírito Santo, por favor, mostre-me, o mais rápido possível, quando eu Te desagrado, pois a última coisa que desejo no mundo é Te provocar. Agradeço-Te por tuas incontáveis misericórdias e hoje me entrego e me submeto novamente a Ti. Em nome de Jesus, amém.

(Texto Extraído do Livro “40 Dias com o Espírito Santo – Andando Diariamente com o Espírito Santo- Uma jornada para experimentar Sua presença de uma maneira fresca e nova” – R. T. KEDALL)

 

share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *