40 DIAS COM O ESPÍRITO SANTO – DIA 35

Por

Dia 35 – O Espírito Santo se manifesta por meio de vários dons espirituais

16 de Maio de 2018- Quarta-feira

VOCÊ SE RECORDARÁ de que o cessacionismo é uma teoria antibíblica , que afirma terem os DONS do Espírito Santo “cessado” em algum momento da Igreja do Primeiro Século. Eu não quero ser injusto, mas creio que muitos evangélicos conservadores são rápidos em abraçar os ensinos do cessacionismo, não devido aos dons do Espírito Santo em geral, mas particularmente por causa do dom de línguas. Duvido que muitos sustentariam o cessacionismo hoje, se fosse devido ao DOM DE LÍNGUAS . Aí é onde está o que lhes ofende. Esse é o único dom que desafia o seu orgulho. Ninguém que eu conheça faria objeção a dons tais como o dom de palavra de sabedoria ou dons de curas. Alguns, talvez, possam se opor ao dom de profecia ou de palavra de conhecimento – mas somente porque esses têm sido muito abusados, geralmente através de manipulação e oportunismo, falsificando o verdadeiro. Mas o que ofende mesmo é o dom de línguas.

‘A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito, visando ao bem comum”, o que inclui: sabedoria, palavras de conhecimento, fé, cura, poder de milagre, profecia, discerminação de espíritos, variedades de línguas, e interpretação de línguas” 91 Co 12.7-10-NVI). Há outros dons mencionados, tais como a habilidade de “ajudar os outros” e “dons de administração” (v.28). Existem os que, alguns chamam de dons motivacionais, em Romanos 12.3-8.

Uma questão complicada entre alguns cristãos – incluindo pentecostais e carismáticos – é se a evidência do batismo com o Espírito Santo é sempre necessariamente falar em línguas. Seria o dom de línguas ou de orar em línguas (1 Co. 14.2,14) o mesmo fenômeno ocorrido com os 120 discípulos do Dia de Pentecostes (At 2.4)? Possivelmente não. Poderia ter sido algo diferente. Os melhores eruditos entre os pentecostais e os carismáticos diferem nisso, e eu não vejo necessidade de entrar nesta questão aqui.

Há um capítulo sobre os dons espirituais, no livro Fogo Santo, no qual os dons são explicados com mais detalhes do que se segue. O apóstolo Paulo disse que todos nós deveríamos desejar sinceramente os melhores dons (1 Co 12.31 – NVI; “os DONS mais úteis” – NVT).  Em 1 Coríntios 12.7-11, ele coloca a sabedoria no primeiro lugar da lista. Provavelmente, ele tenha feito isso porque considerasse a sabedoria o dom mais importante. Mas, seguramente, os dons de curas e de realizar milagres também estariam entre os melhores dons. Para aqueles que ressaltam que o dom de falar em línguas está no final da lista, e que por isso é o menos importante, eu tenho uma resposta: se você realmente quer os melhores dons, esteja disposto a começar de baixo para cima! Aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado, disse Jesus (Mt 23.12; Lc 14.11; 1 Pe 5.5). Para alguns, pode ser constrangedor e humilhante falar em línguas. Isso mostraria o quanto você “realmente deseja  os dons do Espírito Santo. Irei mencionar de modo breve cada um dos dons descritos em 1 Coríntios 12.8-10:

Sabedoria. Esse dom é a presença da mente do Espírito Santo, possibilitando a você saber o próximo passo na direção do que você deveria dizer ou fazer. Essa sabedoria consiste não em mais educação ou um alto QI, mas em ter a palavra apropriada no momento oportuno para os outros. Lamentavelmente, esse é o último dom que muitos parecem querer e, contudo, é o mais necessário.

Mensagem de conhecimento. Mais conhecido atualmente como “palavra [Gr. Logos] de conhecimento. Esse dom poderia se refletir ao conhecimento teológico e bíblico, mas, também, pode ser entendido como uma “palavra especial” de que uma pessoa necessita urgentemente: uma mensagem oportuna e relevante do Espírito Santo que assegura de que Deus e não o homem é que está falando, está guiando conforme a sua vontade.

 Fé. Esse dom não se trata da fé salvadora ou para justificação; mas, sim, de uma capacidade surpreendente de confiar em Deus durante uma crise. É quando você se surpreende com sua capacidade de suportar quando todas as coisas deram errado (ou suportar situações adversas com alegria, sem murmurar; inclusive perseguições e torturas por causa de Jesus Cristo – Hb 10.38,39 e 10.32-35 – ECA e NBV). Pode ser um dom permanente ou algo que é dado para um momento necessário.

Cura. Esse dom mostra que o MINISTÉRIO de CURA de Jesus não terminou quando Ele retornou para estar à direita de Deus Pai. Deus tinha o propósito de que a cura dos doentes continuasse até a volta de Jesus. O que aconteceu no livro de Atos pode acontecer hoje. Algumas pessoas parecem ter um dom especial nessa área. Ouça o que Jesus diz em João 14.12 (de 11-14); e o que está em Mateus 4.23,24.

Poderes milagrosos. Não é fácil determinar a diferença entre curas do enfermos e milagres – as palavras gregas são intercambiáveis (veja Mt 4.23,24. At 2.22; Hb 2.4). Não obstante, é possível que a cura possa ser gradual e milagres possam ser manifestos instantaneamente. O homem coxo, com quarenta anos de idade, que nunca havia andado, foi restabelecido instantaneamente e começou a andar – e saltar – no pátio do templo (ainda que esse milagre seja chamado de cura (At 3.1-16). Esse dom de milagres também pode se referir à expulsão de demônios.

Profecia. Esse não é um dom como o de Isaías, e sim, mais parecido com as professias de Ágabo, como já vimos. Há níveis de dons proféticos. Deus poderia levantar um Elias, e talvez o tenha feito, mas o dom de profecia que o apóstolo Paulo parece estar enfocando (1 Co 14.1) é, principalmente, para a edificação do Corpo de Cristo.

Discernimento de espíritos. Esse importante dom capacita uma pessoa para reconhecer espíritos demoníacos, mas também o que é GENUINAMENTE do Espírito Santo.  Nada é dito aqui sobre expulsão de demônios; o dom de milagres se aplicaria a isso. Mas nunca subestime a importância de uma pessoa ter a habilidade de reconhecer o Espírito Santo propriamente dito em dias de tanta falsificação.

Falar em diferentes tipos de línguas (ou variedade de línguas). Esse é, popularmente, conhecido como “linguagem de oração”, mas Paulo menciona aqui “diferentes tipos” ou diversas línguas, o que implica que alguém pode, nem sempre, falar na mesma língua toda vez – seja uma língua conhecida na Terra ou uma língua angelical. Ou talvez queira dizer que uma pessoa fala em uma língua ou idioma e outra pessoa em uma totalmente diferente.

Interpretação de línguas. Paulo  não disse tradução; mas, sim, interpretação. Isso indica que não se requer uma tradução de palavra por palavra, mas sim transmitir ou comunicar o conteúdo da mensagem em línguas. Se uma pessoa falasse em uma língua na Igreja, o apóstolo Paulo exigiria que alguém interpretasse. Estou certo de que muita falsificação tem se manifestado aqui, mas também tenho visto o verdadeiro, o que pode ser muito belo!

Se alguém tem um dom permanente ou enquanto necessário, é algo que pode ser debatido. Em todo caso, os dons são “irrevogáveis” (Rm 11.29  KJA e outras; “sem arrependimento” – ACRF), um sério lembrete de que nós não devemos nos vangloriar considerando-nos “espirituais” porque exercitamos qualquer um desses dons.

Para ampliar seu estudo e crescimento: Romanos 12.3-12; 1 Coríntios 1.4-9; Efésios 4.7-16; Tiago 5.13-16; Atos 10.32-39; João 14.11-14; Mateus 4.25.

(Texto Extraído do Livro “40 Dias com o Espírito Santo – Andando Diariamente com o Espírito Santo- Uma jornada para experimentar Sua presença de uma maneira fresca e nova” – R. T. KEDALL)

share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *