40 DIAS COM O ESPÍRITO SANTO – DIA 36

Por

Dia 36- O Espírito Santo dirige pessoas a Jesus e o torna real para elas

17 de maio de 2018- Quinta-feira

VOCÊ JÁ CONSIDEROU o quanto é essencial a obra do Espírito Santo na evangelização? Quando Jesus disse a Nicodemos “Portanto não se surpreenda quando eu digo: É necessário nascer de novo” (Jo 3.7 – NVT), imediatamente acrescentou algo acerca do Espírito Santo: “O vento sopra aonde quer. Você o escuta, mas não pode dizer de onde vem nem para onde vai. Assim acontece com todos os nascidos do Espírito” (Jo 3.8 – NVI).  Jesus está dizendo que CADA conversão é uma operação da graça soberana do Espírito Santo. Assim como fomos passivos em nosso nascimento natural, também somos quando nascemos do Espírito Santo. É isso que Ele faz. Quando nos rendemos a Jesus Cristo é o Espírito Santo realizando a Sua obra (cf Jo 16.7, 8, 9; Hb 3.7,8; Rm 10.9-13).

Isso o surpreende? Tiago disse: “Segundo a sua própria vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas” (Tg 1.18 – ARIBB). Isso significa que nenhuma conversão é um acidente. Nosso nascimento natural não foi um acidente. É Deus quem dá a vida, a respiração e todas as coisas a cada um de nós (At 17.25). “De um só fez  ele todos os povos, para que povoassem toda a terra, tendo determinado os tempos anteriormente estabelecidos e os lugares exatos em que deveriam habitar” (At 17.26). Deus escolheu quando e onde nasceríamos. Por quê? “Para que os homens o buscassem e talvez, tateando, pudessem encontra-lo” (v.27 – NVI). Nascemos “mortos” em iniquidade e pecado (Sl 51.5; Ef.2.1-ECA), “Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida juntamente com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões –  pela graça que não podemos levar crédito de nossa salvação. “Onde está, então, o motivo de vanglória?”, pergunte o apóstolo Paulo, que em seguida responde: “É excluído”  (Rm 3.27). A conversão ou o novo nascimento de qualquer pessoa é o que o Espírito Santo opera. Não é obra nossa para que nos vangloriemos (Ef. 2.9).

Vimos, anteriormente, que Jesus afirmou que “Quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos enviarei, o Espírito da verdade, que procede do Pai, ele testificará de mim” (Jo 15.26 – ECA), a respeito do Espírito Santo. O que faz as pessoas quererem se voltar para Jesus? O Espírito Santo.  O que torna real o que Jesus fez por nós – morrer na cruz e ser ressuscitado dentre os mortos? O Espírito Santo.

É por isso que Jesus disse: “Pois ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não trouxer a mim; e no último dia eu o ressuscitarei” (Jo 6.44 – NVT). Todos nós nascemos “mortos” – “mortos em suas transgressões e pecados” (Ef 2.1 – VNI). Pode um morto mover-se? Pode um homem morto falar? Pode um homem morto ouvir? Pode um homem morto fazer escolha? A afirmação de Jesus em João 6.44 veio em meio ao que os mestres de Bíblia chamam de os ensinos duros de Jesus. No início desse discurso, Jesus tinha uns cinco mil seguidores (v.10). No final, “muitos dos seus discípulos voltaram atrás e deixaram de segui-lo” (v.66). As declarações de Jesus aqui (Jo 6), entre os que estavam ouvindo-as, pareceram um ensino demasiado duro, forte. Jesus prosseguiu com várias declarações ou revelações difíceis: “O Espírito dá vida; a carne não produz nada que se aproveite […] É por isso que eu lhes disse que ninguém pode vir a mim, a não ser que isto lhe seja dado pelo Pai” (v63, 65).

Qual é o objetivo do testemunho do Espírito Santo? Jesus Cristo. O Espírito Santo guia pessoas a Jesus. “ Ele testificará a meu respeito” (ECA). É o Espírito Santo quem faz as pessoas verem o porquê de Jesus ter morrido e ressuscitado. Lembre-se de que os onze (quando Judas Isacriotes já estava fora da cena), mesmo após terem visto Seu corpo ressurreto, não sabiam o porquê de Jesus haver morrido e ressuscitado dos mortos. Somente quando o Espírito Santo desceu sobre eles, no dia de Pentecostes, que tudo fez sentido.

Charles Spurgeon contou certa vez sobre uma reflexão que ele fez acerca da sua conversão. Ele perguntou a si mesmo: “Por que sou um cristão? Ele concluiu: “Foi porque ouvi o Evangelho’. “Mas, questionou, “Por que creio nele?” Aí, como um rápido flash: “Eu vi que Deus estava na base de tudo isso”. Assim, ele creditou sua salvação somente à pura graça. O Dr. Lloyd-Jones costumava dizer que um cristão é uma pessoa que se surpreende quando se descobre cristã nascida de novo,salva!

Quando chegarmos ao céu, todos nós teremos algo em comum: não merecemos estar lá. Mas fomos convidados e aceitamos o convite.

Martinho Lutero disse que esperava três surpresas no Céu: (1) haverá pessoas que ele não esperava que estivessem lá; (2) alguns, daqueles que ele esperava encontrar, não estarão lá; e (3) ele próprio estará lá!

Para ampliar seu estudo e crescimento: Mateus 11.25-30; João 6.61-65; Romanos 8.28-30; Efésios 2.1-9.

 

(Texto Extraído do Livro “40 Dias com o Espírito Santo – Andando Diariamente com o Espírito Santo- Uma jornada para experimentar Sua presença de uma maneira fresca e nova” – R. T. KEDALL)

 

 

share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *