Perseverar é Preciso – EBD Estudo Semanal

Perseverar é Preciso - EBD Estudo Semanal
Por

Perseverar é Preciso

A Viva Esperança em Cristo

Texto Base – II Pedro 2: 20 a21

Estudo para o dia 10 de Outubro de 2021

“Portanto, se, depois de terem escapado das contaminações do mundo mediante o conhecimento do Senhor e salvador Jesus Cristo, se deixam enredar de novo e são vencidos, tornou-se o seu último estado pior que o primeiro.

Pois melhor lhes fora nunca tivessem conhecido o caminho o caminho da justiça do que, após conhecê-lo, volverem para trás, apartando-se do santo mandamento que lhes fora dado”.

(II Pedro 2: 20 e 21)

O tema da lição que estaremos pensando hoje é por um lado complexo, contudo, por outro lado, é também atual e facilmente visualizado na vivencia Igreja.

Sua complexidade se encontra na possibilidade interpretativa de que o texto esteja falando acerca da perda da salvação, visto que Pedro escreve a sua segunda carta tendo como destinatário a Igreja.

Sua atualidade e fácil aplicação repousam no fato de que podemos sem muito esforço nos lembrar de pessoas que por um tempo estiveram conosco compondo a congregação e se afastaram, sendo que o seu estado se tornou pior do que antes de sua “conversão”, exatamente como lemos no texto de Pedro.

Neste estudo buscaremos esclarecer a questão teológica acerca da possibilidade, ou não, de se perder a salvação. Também pensaremos acerca da visível piora moral e claro espiritual de muitos que se afastam da Igreja, bem como as consequências deste afastamento em suas vidas. Vamos juntos entender.

“Pois melhor lhes fora nunca tivessem conhecido o caminho o caminho da justiça do que, após conhecê-lo, volverem para trás, apartando-se do santo mandamento que lhes fora dado” (V.21).

Quando falamos acerca da possiblidade da perda da salvação sempre nos lembramos de alguns textos específicos e este que encontramos na Segunda Carta de Pedro é com certeza um deles.

Outro texto muito conhecido que podemos citar é o seguinte: “Aquele que perseverar até o fim será salvo” (Mateus 24:13). Penso que a melhor maneira de entendermos estes textos é interpretando-os a luz da própria Palavra.

Todo aquele que é salvo é selado com o Espírito Santo, que é o penhor (Garantia) da nossa salvação; “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção” (Efésios 4:30).

Em Cristo somos feitos família de Deus e seus herdeiros; “Assim que já não és mais servo, mas filho; e, se és filho, és herdeiro de Deus por Cristo” (Gálatas 4:7).

O nome de todos os que serão salvos esta escrito no livro da vida que só poderá ser aberto por Jesus no dia final; “E não entrarão na cidade santa coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do cordeiro” (Apocalipse 21:27).

Então se um nome está lá não pode ser apagado de maneira nenhuma, pois este livro está lacrado com o selo que só poderá ser rompido no dia final para que seja executada a leitura dos nomes que ali estão.

A luz dos textos que lemos, podemos entender que o apóstolo Pedro dificilmente esteja falando acerca da perda de salvação.

Sendo assim; como poderemos entender o texto proposto para nossa lição? Pedro se refere no mínimo a três questões;

1 – A pessoa chega ao evangelho crendo que este o livra do pecado, contudo por falta de se praticar a fé, a carne fala mais alto e este crente acaba caindo em pecado, torna-se então o seu estado pior do que antes.

Com esta mentalidade é muito mais difícil crer. Contudo em algum ponto da jornada devido a muitas provações ser-lhe-á ensinado a confiar novamente no evangelho e este voltará à comunhão.

2 – No pecado fica mais difícil reconhecer os falsos mestres e estes conduzem o afastado a um estado espiritual ainda pior.

3 – Pedro também deve estar querendo enfatizar que aqueles que conheceram o caminho da verdade e se afastam dele terão um julgamento mais rigoroso, bem como as consequências do pecado serão mais duras.

Para o crente verdadeiro não existe perda de salvação, mas é possível para este se afastar do reto caminho e padecer duras penas em sua jornada até que se arrependa e retorne a comunhão.

O crente verdadeiro, por mais que tenha alguns percalços em sua trajetória, o que não é obrigatório e nem desejável, sempre irá perseverar até o fim e ser salvo.

Infelizmente é grande dentro das nossas Igrejas o número de pessoas que depois de professarem a fé e se batizarem, se afastam da Igreja. Alguns deste não tiveram um real encontro com Cristo, porém, alguns realmente se converteram e se afastaram. Vale ressaltar que são dos verdadeiros convertidos que estamos falando em nossa lição.

Cremos que os convertidos em algum momento voltarão à comunhão.

Precisamos entender porque uma pessoa convertida se afasta da Igreja. Listemos aqui algumas possibilidades:

1 – A falta de uma vida devocional, Leitura da Bíblia e Oração, podem ser fatores que levam ao esfriamento na fé.

2 – Colocar a fé em pessoas, mesmo em líderes religiosos, que estão sujeitos a falhas, pode também ser um instrumento de esfriamento da fé.

3 – Um apego demasiado as coisas desta terra podem também gerar afastamento da fé. Como cristãos somos chamados a pensar nas coisas que são do alto.

4 – A abertura para a prática de “pecadinhos” com certeza também é um dos fatores principais que conduzem pessoas ao afastamento da Igreja.

Começa-se com pequenas concessões e como um pecado chama outro, logo a pessoa se vê presa a estas amarras novamente. Ela pode se libertar? Sim.

Mas para isso é necessário arrependimento e abandono da prática do pecado, o que muitos não conseguem até que cheguem ao fundo do poço.

Precisamos estar atentos em nossa caminhada Cristã aqui nesta terra, o preço do pecado é muito alto mesmo aqui. Pedro é duro em sua exortação a este respeito e diz que melhor seria o não ter ainda se convertido do que depois da conversão se afastar do caminho.

Quero ainda chamar sua atenção para um fato importante; é possível parecer estar em comunhão com Deus e com a Igreja e se estar afastado.

Os frutos das nossas vidas não podem ser colhidos apenas à luz de um ativismo religioso. É preciso uma vida que exale o bom cheiro de Cristo em todo o tempo.

Então, é principalmente necessário vivermos em santidade fora das quatro paredes do templo da Igreja do que dentro dele.

Muitas vezes nos preocupamos mais com a aparência de santidade do que com a própria santidade em nossas vidas. Pedro em sua exortação trás uma perspectiva de que a vida cristã precisa antes de tudo ter parte com Deus.

Não precisamos provar nossa conversão aos homens, não são eles que nos salvam. Não precisamos provar nossa conversão a Deus, Ele conhece os nossos corações.

Apenas precisamos dar frutos de justiça que possam ser vistos pelos homens e sejam agradáveis a Deus.

Em resumo; não devemos buscar a aparência de crentes, mas sim, sermos crentes. “Assim, o vencedor andará trajado com vestes brancas, e de modo algum apagarei o seu nome do Livro da Vida; pelo contrário, reconhecerei o seu nome na presença do meu Pai e dos seus anjos” (Apocalipse 3:5). Amém.

Pr Benedito Jr

Leia a Bíblia:  Bíblia Online

Ver Boletim da Semana: Clique Aqui!

share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *